terça-feira, 28 de setembro de 2010

Quero ouvir

silencio eu quero ouvir
o que nao se fala...
o trajeto da bala até o coração
som de uma mão em outra mão

silencio eu quero ouvir
o que nao se vê
a parte de mim
que está em você
e o que não está em parte alguma
eu quero ouvir

2 comentários:

elenice disse...

Galdino, vou emprestar suas palavras pra transmitir meu sentimento ao meu pai, que recebeu 'sentença de morte'...e por mais espiritualizada que 'pensei' ser, é uma dor tão forte que tudo o que eu queria era cabular esse trecho de nossas vidas. Agradecida a vc poeta/amigo por oferecer tais palavras na hora em que mais necessito. Lê.

Welington de Sousa disse...

Belo poema ... temos em comum a admiração pelo silêncio ... abraço

www.obarulhodosilencioeoutrosruidos.blogspot.com