terça-feira, 17 de agosto de 2010

Juramento em Poesia

Tela(minha) 3 luas 1 amor Arinelson Amorin
Não falo teu nome,
Juro.
Mas conto a plenos pulmões
Que amo.
Declamo os versos  mais lindos
Aos gritos.
Alimento os sonhos  mais
Loucos.
Detenho as possibilidades  mais Insanas.
Me entrego às  vontades
Mais livres.
Assim teu nome juro,
Não revelo.
Mas sim ,deixar que nossa alma
Siga...
Numa viagem  sem prumo,
Nem rumo.
De olhos fechados, saltar no
Vazio...
E que a vida não tenha
Limite e em nós, apenas a poesia
Habite.

Catiaho Alcântara Reflexo d''Alma entre Sonhos e Delírios180609 2158

Nenhum comentário: