segunda-feira, 3 de maio de 2010

Estréia em silêncios


“Você foi convidado a contribuir em silêncios.” Foi assim! Nada mais atrevido nos títulos da caixa de entrada. Se você recebesse um email assim, seria capaz de aceitar?
Eu disse sim sem ter a certeza que poderia honrar minha palavra. Será que até para aceitar se calar é necessário dizer? Eu só deveria silenciar. ..
Estava mesmo precisando deste impacto na minha vida. Eu viciada em diálogos, que quebro silêncios descontroladamente precisava de fato, contribuir com os silêncios, esquecer que sou poeta e sobretudo esquecer o que passou. Por que remoer o que não volta? O que não é, o que nunca foi?
Refleti e cheguei à conclusão que é tênue silenciar. Basta anular-se em prol de algo maior. O amor próprio ou pelo outro, por exemplo. Já cheguei à conclusão. Agora só falta força para colocá-la em prática.
Espero ter disposição para toda segunda-feira contribuir em silêncios.
Muito prazer, sou Barbara Leite.




Desequilíbrio


É só um novo labirinto

e um pouco de desgaste

outro tanto de desgosto


tentar entender o que sinto

que faz essa sensibilidade

transformar-se no oposto


Prefiro disparar lanças

a cultivar câncer


Perdoe essa agressão

em escudo

eu lhe quero tanto bem


-Alguém com piedade

salve-me desse ridículo

amém !


Deve ser porque estava escuro

e não senti o perfume dos lírios


Talvez porque é maio

e em mim, nenhuma flor


Só raízes de novembro

e agora nova dor

Um comentário:

Carlos Galdino disse...

Barbara querida,seja bem vinda em Silencios !!!
muito obrigado por aceitar o convite.